FAQ

From Gentoo Wiki
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page FAQ and the translation is 100% complete.

Other languages:
Deutsch • ‎Ελληνικά • ‎English • ‎español • ‎français • ‎italiano • ‎日本語 • ‎한국어 • ‎polski • ‎português do Brasil • ‎русский • ‎中文(中国大陆)‎

Esta FAQ é uma coleção de perguntas e respostas coletadas da lista de discussão gentoo-dev e dos canais do Gentoo no Internet Relay Chat (IRC) da rede Freenode.

Contents

Introdução

Por favor note que muitas destas perguntas são respondidas na documentação e nos guias oficiais do Gentoo. Está é apenas uma lista das questões mais frequentes. Por favor leia a documentação do Gentoo e as páginas de manual (man pages) para obter um maior entendimento de como o Gentoo e o GNU/Linux funcionam, e para obter respostas para questões que possam não estar respondidas aqui.

Iniciando

Como se pronuncia Gentoo e o que significa?

Gentoo é pronunciado "gen-tu" (o "g" de "Gentoo" é pronunciado como o "g" em "gentil" e "oo" como um longo "u"). É o nome de uma espécie de pinguim. O nome científico do pinguim Gentoo é Pygoscelis papua. Esse nome foi dado ao pinguim pelos habitantes das Ilhas Falkland (Malvinas).

O que faz do Gentoo diferente?

O Gentoo usa um sistema similar aos "portes" do BSD chamado Portage. O Portage é um sistema de gerenciamento de pacotes de software que permite grande flexibilidade em instalar e manter o software de um sistema Gentoo. Ele provê suporte para opções em tempo de compilação (através das "USE flags"), dependências condicionais, sumarização, pré-instalação de pacotes, instalação segura (através do uso da técnica de "caixa de areia" (sandboxing)), desinstalação de software, perfis de sistema, proteção de arquivo de configuração entre muitos outros recursos.

Com o Gentoo o sistema inteiro pode ser construído a partir do código-fonte, permitindo ao usuário escolher suas otimizações. O usuário tem controle completo sobre quais pacotes são ou não são instalados. O Gentoo o provê com um grande número de escolhas, de modo lhe permitir instalar o Gentoo de acordo com suas próprias preferências, o que faz o Gentoo ser chamado de "meta-distribuição".

O Gentoo é ativamente desenvolvido. A distribuição toda usa um estilo rápido de desenvolvimento: correções (patches) de pacotes são rapidamente integradas na "árvore" principal, a documentação é atualizada com base diária, novos recursos do Portage são adicionados com frequencia, e lançamentos oficiais ocorrem duas vezes por ano.

Instalação

Tudo está muito instável usando otimizações '-O9 -ffast-math -fomit-frame-pointer'. O que acontece?

Não se dê ao trabalho de usar otimizações acima de -O3 uma vez que não são suportadas pelas versões atuais do GCC. Otimizações muito agressivas às vezes fazem com que o compilador "enxugue" o código assembly ao ponto de ele não fazer mais o mesmo.

Por favor tente compilar com as CFLAGS -O2 -march=<arquitetura> antes de reportar um bug.

Como troco a senha do root (ou de outro usuário)?

Use o comando passwd para trocar a senha do usuário atual. O usuário root pode trocar a senha de qualquer outro usuário usando o comando passwd usuario. Para outras opções e usos veja a página de manual do passwd (man passwd).

Como adiciono um usuário normal?

O comando useradd larry criará um usuário chamado "larry". Entretanto, esse método não dá ao usuário muitos dos direitos necessários para usar adequadamente o sistema, então, o comando a seguir é preferido:

root #useradd -m -G users,audio,wheel bob

Isso vai criar um usuário chamado "larry". A opção -G adiciona o usuário em vários grupos:

  • users que é o grupo padrão para usuários interativos do sistema
  • audio que permite ao usuário acessar dispositivos de som
  • wheel que permite ao executar o comando su para ganhar privilégios de root (após fornecer a senha).

Por que um usuário não pode fazer su para root?

Por razões de segurança, os usuários podem apenas fazer su para root se eles pertencerem ao grupo wheel. Para adicionar um usuário ao grupo wheel, execute o seguinte comando como root:

root #gpasswd -a <nome_usuario> wheel

Posso atualizar o Gentoo de uma versão para outra sem reinstalar?

Na verdade, não há diferença entre as diversas versões depois delas estarem instaladas. O Gentoo versão 1.4 e as mais recentes são baseadas no glibc-2.3.x (ou maior). Dessa forma, executando emerge --sync && emerge -uDN @world irá atualizar o sistema inteiro com o "último Gentoo". As diferenças entre as versões individuais ficam nas midias de instalação e nos pacotes pré-compilados. Veja o Guia de Atualização do Gentoo para maiores informações sobre perfis e seu papel na atualização.

Note também que o comando emerge -uDN @world atualiza os pacotes instalados bem como suas dependências, mas não as dependências de compilação (pacotes que são necessários durante a compilação mas não quando o software é instalado). Para atualizar esses também, adicione a opção --with-bdeps=y option.

Meu kernel não dá boot, que devo fazer?

Não é obrigatório refazer todos os passos da instalação. Entretanto, é necessário investigar o kernel e todos os passos relacionados a ele. Suponha que o Gentoo foi instalado em /dev/sda1 (/boot) e /dev/sda3 (/) com /dev/sda2 sendo área de swap.

Dê boot com o CD de instalação e espere até apareça o prompt de comando.

Primeiro monte (usando mount) todas as partições:

root #mount /dev/sda3 /mnt/gentoo
root #mount /dev/sda1 /mnt/gentoo/boot
root #swapon /dev/sda2
root #mount -t proc proc /mnt/gentoo/proc

Depois faça chroot no ambiente do Gentoo e configure o kernel:

root #chroot /mnt/gentoo /bin/bash
root #env-update && source /etc/profile
root #cd /usr/src/linux
root #make menuconfig

Agora (de)selecione tudo que foi (de)selecionado erroneamente na tentativa anterior. Então salve sua configuração e compile o kernel:

root #make && make modules_install

Agora copie o arquivo bzImage, sobrescrevendo o arquivo anterior:

root #cp arch/i386/boot/bzImage /boot/<nome_do_kernel>

Se o LILO foi instalado como gerenciador de boot, reexecute lilo -- usuários do GRUB devem pular este passo:

root #/sbin/lilo

Saia do chroot e reinicialize o sistema.

root #exit
root #umount /mnt/gentoo/proc /mnt/gentoo/boot /mnt/gentoo
root #reboot

Se, por outro lado, o problema for com o gerenciador de boot, siga os mesmos passos, mas em vez de configurar/compilar o kernel, reconfigure o gerenciador de boot (não é necessária recompilação).

Meu proxy requer autenticação, o que devo fazer?

Para o Portage usar automaticamente esse esquema, defina-o em /etc/portage/make.conf:

FILE /etc/portage/make.confConfigurando o proxy
http_proxy="http://usuario:senha@servidor:porta"
ftp_proxy="ftp://usuario:senha@servidor:porta"
RSYNC_PROXY="rsync://usuario:senha@servidor:porta"

Tenha em mente que o servidor proxy deve suportar o método CONNECT para a(s) porta(s) do rsync.

Como gravo um arquivo ISO?

Arquivos ISO devem ser gravados em "modo bruto" (raw mode). Isso significa que o arquivo ISO não deve ser apenas gravado como um arquivo no CD, mas interpretado como um CD completo.

Existem muitas ferramentas de gravação disponíveis; explicar todas elas seria um "trabalho de Sísifo". Entretanto, descrever umas poucas ferramentas mais populares não machuca:

  • Com o EasyCD Creator selecione File, Record CD from CD image. Então troque o Files of type para ISO image file. Depois localize o arquivo ISO e clique em Open. Depois de clicar em Start recording a imagem ISO será gravada corretamente no CD/DVD.
  • Com o Nero Burning ROM, cancele o wizard (ajudante) que aparece automaticamente e selecione Burn Image do menu File. Selecione a imagem que você quer gravar e clique em Open. Agora clique no botão Burn e assista seu novíssimo CD do Gentoo Live sendo gravado.
  • Com o cdrecord, apenas digite {{{1}}} (troque /dev/cdrom pelo nome do seu dispositivo CDROM), seguido do nome do seu arquivo ISO.
  • Com o K3B, selecione ToolsCDBurn CD Image. Então selecione o arquivo ISO na área 'Image to Burn'. Clique Start para iniciar o processo de gravação.
  • Com o Mac OS X Panther, selecione Disk Utility do Applications/Utilities, selecione Open do menu Images, selecione a imagem de disco montada na janela principal e selecione Burn no menu Images.
  • Com o Mac OS X Jaguar, selecione o Disk Copy do Applications/Utilities, selecione Burn Image do menu File, selecione o arquivo ISO e clique no botão Burn.

Qual CD/stage devo usar para minha CPU?

Primeiro você precisa saber em que tipo de CPU o Gentoo será instalado (por exemplo, um Pentium-M). Então você precisa descobrir com o que ela é compatível, a nível de instruções, para assim escolher o CD de instalação ou stages adequados. Consultar o site do fabricante normalmente funciona, embora fazer uma pesquisa na web normalmente é mais eficiente.

Caso não tenha certeza, pegue o CD/stage "menor", por exemplo i686 ou mesmo o x86 genérico (ou o equivalente da arquitetura do seu sistema). Isso vai assegurar que o sistema funcionará, mas não será tão rápido por não utilizar otimizações.

Por favor note que existem muitas outras opções além dessas para o qual o Gentoo cria estágios binários. Veja por favor o guia GCC para escolher a flag -march.

A Internet não funciona depois de reiniciar o sistema. O que está errado?

Primeiro certifique-se que sua placa de rede foi detectada corretamente pelo kernel. Use ifconfig -a e procure pelas interfaces de rede. Algo como eth0, eno1, enp2s0, enp0s8 ou wlan0 (no caso de certos tipos de placas de rede sem fio) deve estar presente. Algum módulo específico do kernel pode ser necessário para que a placa seja detectada adequadamente. Se for esse o caso, certifique-se que os módulos necessários estejam listados no arquivo /etc/conf.d/modules.

Se o suporte para a placa de rede do sistema não foi incluido no kernel, será necessário reconfigurar e, em alguns casos, reconfigurar o kernel.

Se a placa de rede é detectada pelo kernel mas a configuração de rede foi feita para usar DHCP, um cliente DHCP pode não ter sido instalado no sistema. Existem vários clientes disponíveis no Gentoo, sendo um bastante comum o dhcpcd. Se for necessário para ter a conexão com a Internet funcionando, reinicie usando o CD de instalação e faça emerge -a dhcpcd.

Informação sobre como recuperar o sistema usando o CD de instalação está disponível aqui.

Posso fazer boot duplo com Windows ou outro sistemas operacionais?

Sim! Provavelmente o modo mais rápido do fazer isso é instalar o GRUB2 com o sys-boot/os-prober. Leia sobre ele neste artigo do GRUB2 e especifidamente sobre boot duplo com o GRUB2 aqui.

Ao tentar inicializar o Windows usando o GRUB Legacy ou LILO é mostrada apenas uma tela preta. O que devo fazer?

Esse é um problema conhecido e se aplica apenas para gerenciadores de boot mais velhos como o GRUB Legacy e o LILO. O Windows se nega a dar boot quando ele não é instalado no primeiro disco rígido e mostra uma tela em branco (ou preta). Para resolver isso é necessário "enganar" o Windows para ele acreditar que está instalado no primeiro disco rígido com um pequeno truque na configuração no gerenciador de boot. Por favor note no exemplo abaixo que o Gentoo está instalado no /dev/sda (primeiro disco) e o Windows no /dev/sdb (segundo disco). Ajuste a configuração conforme necessário.

FILE /boot/grub/grub.confExemplo de dual boot para Windows no grub.conf
title Windows XP
     map (hd1) (hd0)
     map (hd0) (hd1)
     rootnoverify (hd1,0)
     chainloader +1
Nota
O exemplo acima é para o gerenciador de boot GRUB Legacy, não o GRUB2. Para informação sobre como fazer dual boot do Windows com o GRUB2 veja o artigo do GRUB2.
FILE /etc/lilo.confExemplo de dual boot para Windows no lilo.conf
other=/dev/sdb1
     label=WindowsXP
     table=/dev/sdb
     map-drive = 0x80
     to = 0x81
     map-drive = 0x81
     to = 0x80

Isso fará o Windows acreditar que está instalado no primeiro disco rígido e dar boot sem problemas. Maiores informações podem ser encontradas na documentação oficial do GRUB e em man lilo.conf.

Como instalo o Gentoo usando o arquivo tar do stage1 ou stage2

O Manual do Gentoo apenas descreve a instalação do Gentoo usando um arquivo tar do stage3. Porém, o Gentoo ainda provê arquivos tar do stage1 e stage2 para uso no desenvolvimento do Gentoo (a equipe de Engenharia de Lançamento parte do stage1 para obter o stage3) mas eles não devem ser usados por usuários: o stage3 pode perfeitamente ser utilizado para inicializar o sistema. Uma conexão de Internet funcionando é necessária.

Bootstrapping significa compilar a cadeia de ferramentas (o compilador e biblioteca C) para o sistema após o que todos os pacotes principais do sistema são instalados. Para fazer o bootstrap do sistema, faça a instalação do stage3. Antes de iniciar o capítulo "Configurando o Kernel", pode ser necessário modificar o script bootstrap.sh de acordo necessidades pessoais:

root #cd /usr/portage/scripts
root #vi bootstrap.sh

Depois das modificações, execute o script.

root #./bootstrap.sh

Em seguida recompile todos os pacotes do núcleo principal com cadeia de ferramentas recém compilada. É necessário recompilá-los uma vez que o arquivo tar stage3 já os oferece.

root #emerge -e system

Agora prossiga em "Configurando o kernel".

Gerenciamento de pacotes

Em que formato os pacotes são armazenados?

Pacotes não são "armazenados". Em vez disso, o Gentoo provê um conjunto de scripts que pode resolver dependências, baixar o código fonte e compilar uma versão de um pacote específica para as necessidades do usuário. Geralmente o Gentoo apenas cria binários para lançamentos e snapshots. O Manual do Desenvolvedor Gentoo aborda o conteúdo de um script ebuild em detalhes.

Para lançamentos de ISOs completos, uma suite completa de pacotes binários será criada usando um formato .tbz2 aprimorado, que é compatível com o .tar.bz2 e com metainformação anexada ao final do arquivo. Podem ser usados para instalar uma versão funcional (embora não totalmente otimizada) de um pacote de forma rápida e eficiente.

É possível criar RPMs (arquivos do gerenciador de pacotes do Red Hat) usando o Portage do Gentoo, mas atualmente não é possível usar RPMs já existentes para instalar pacotes no Gentoo.

Eu quero fazer o passo ./configure eu mesmo. Posso?

Sim, mas não é trivial, nem recomendado. Uma vez que o método para fazer isso requer bom entendimento do funcionamento interno do Portage e comandos, é recomendado que o ebuild seja alterado para fazer o que o usuário quiser e o coloque em um overlay do Portage (pois é para isso que existe o overlay). Isso é muito melhor para a mantenabilidade e geralmente é mais facil. Veja o Manual do Desenvolvedor Gentoo para mais informações.

E se o rsync não funcionar para mim?

Quando estiver atrás de um firewall que não permite tráfego rsync pela porta 873, então você pode usar o comando emerge-webrsync, o que irá baixar e instalar um instantâneo através de HTTP regular. Veja esta seção para informação sobre baixar código fonte e snapshots do Portage através de um proxy.

Eu tenho uma conexão lenta (ou nenhuma conexão) de Internet em casa. Posso baixar os fontes em outro lugar e copiá-los para meu computador?

Com certeza. Execute emerge --pretend package/atom para ver que programas serão instalados. Para saber quais são os fontes para esses pacotes e de onde baixar os fontes, execute emerge -fp package/atom. Baixe os fontes e leve-os em qualquer tipo de mídia para casa. Coloque os fontes no diretório /usr/portage/distfiles/ e então apenas execute emerge package/atom. Esteja avisado, porém, que esse pode ser é um processo muito tedioso.

Arquivos tar de fontes estão acumulando em /usr/portage/distfiles/. É seguro apagar esses arquivos?

Apagar esses arquivos não trará impacto negativo no desempenho do seu sistema. Entretanto, pode ser interessante manter as versões mais recentes dos arquivos; frequentemente vários ebuilds são lançados para a mesma versão de algum software específico. Se o arquivo for apagado e depois for necessário atualizar ou reinstalar o software, será necessário baixá-los da Internet novamente.

Use o script eclean do pacote app-portage/gentoolkit para gerenciar o conteúdo do diretório /usr/portage/distfiles/ e alguns outros diretórios. Por favor leia o man eclean para conhecer seu uso, bem como o artigo do Gentoolkit.

O que fica em /var/tmp/portage? É seguro apagar os arquivos e diretórios em /var/tmp/portage?

Durante a compilação, o Gentoo salva os fontes do pacote em /var/tmp/portage. Esses arquivos e diretórios são normalmente apagados após a instalação, mas isso as vezes falha. É seguro limpar o conteúdo desse diretório se o comando emerge não estiver em execução. Sempre use pgrep emerge antes de limpar esse diretório.

Uso

Como Configuro um Layout Internacional de Teclado?

Edite a variável keymap em /etc/conf.d/keymaps. Para o console funcionar corretamente com caracteres estendidos do mapa de caracteres pode ser necessário ajustar as variáveis consolefont e consoletransation no arquivo /etc/conf.d/consolefont (para maiores informações sobre como configurar a localização do seu ambiente, consulte o guia sobre localização). Depois ou faça um reboot ou restarte os scripts keymaps e consolefont :

root #/etc/init.d/keymaps restart
root #/etc/init.d/consolefont restart

A resolução de nomes pelo DNS funciona apenas para o root

O arquivo /etc/resolv.conf está com as permissões errradas; use o chmod como a seguir:

root #chmod 0644 /etc/resolv.conf

Por que meu usuário não pode ter o próprio crontab?

Adicione o usuário ao grupo cron:

root #gpasswd -a <username> cron

Como faço para que o numlock fique ligado após o boot?

O comando a seguir adicionará o serviço numlock ao nível de execução default, habilitando o numlock no boot:

root #rc-update add numlock default
root #/etc/init.d/numlock start

Cada interface gráfica fornece diferentes ferramentas para esse tipo de coisa; por favor consulte a seção de ajuda ou manuais online da interface gráfica para assistência.

Como ter meu terminal limpo quando faço logout?

Para ter o terminal limpo, adicione o comando clear no script ~/.bash_logout do usuário:

user $echo clear >> ~/.bash_logout

Para que isso aconteça automaticamente para novos usuários adicionados, faça o mesmo com o arquivo /etc/skel/.bash_logout:

root #echo clear >> /etc/skel/.bash_logout

Manutenção

ReiserFS e problemas de corrupção do sistema de arquivo -- como corrigir, etc

Se a partição ReiserFS estiver corrompida, tente dar boot com o CD de instalação do Gentoo e então executar reiserfsck --rebuild-tree no sistema de arquivo corrompido. Isso deve deixar o sistema de arquivo consistente de novo, embora pode haver alguns arquivos ou diretórios perdidos por causa do corrompimento.

Desenvolvimento

Onde posso reportar bugs?

Use o site Bugzilla para reportar bugs. Visite o canal #gentoo no servidor IRC Freenode para perguntar se um dado problema é realmente um bug ou não.

Com que frequencia novas versões são lançadas?

Os pacotes do Gentoo são atualizados logo depois que os autores originais lançam novos programas. Para saber quando o Gentoo em si cria novos lançamentos de stages/perfis/ISO, cheque nossa página do Projeto de Engenharia de Lançamentos. Novos lançamentos são anunciados na lista de discussão [1]. Veja esta seção para mais informações.

Meu altofalante bipa como louco. Como desabilito os bips do console?

Bips do console podem ser desligados usando setterm, desta forma:

root #setterm -blength 0

Para desligar os bips de console no boot, coloque o seguinte comando no arquivo /etc/conf.d/local.start. Entretanto, isso apenas desliga os bips no terminal atual. Para desabilitar os bips de outros terminais, direcione a saída do comando para o terminal alvo, assim:

root #setterm -blength 0 > /dev/vc/1

Substitua /dev/vc/1 pelo terminal que o bip precisa ser desabilitado.

Recursos

Onde posso encontrar mais informações sobre o Gentoo Linux?

A maior parte da documentação oficial do Gentoo pode ser encontrada aqui no Wiki.

Posso comprar um CD do Gentoo Linux?

Usuários que não forem capazes de baixar e gravar o CD de instalação podem obtê-lo um em uma das nossas lojas licenciadas. Porém, a maioria das lojas abandonou a oferta de CDs e DVDs porque essas mídias de instalação rapidamente tornam-se obsoletas.

As lojas licenciadas estão listadas na página de lojas.

Esta FAQ não respondeu minha pergunta. Que faço agora?

Um bom primeiro passo é navegar pela documentação relevante. Se isso falhar, há várias listas de discussão listadas aqui. Se nada disso funcionar, ou se apenas quiser bater um papo com a turma do Gentoo, visite-nos no canal #gentoo do Freenode.
This article is based on a document formerly found on our main website gentoo.org.
The following people contributed to the original document: Daniel Robbins, Colin Morey, John P. Davis, Eric Stockbridge, Stoyan Zhekov, Carl Anderson, Jorge Paulo, Benny Chuang, Jonathan Smith, nightmorph
They are listed here as the Wiki history does not allow for any external attribution. If you edit the Wiki article, please do not add yourself here; your contributions are recorded on the history page.