Manual:IA64/Instalação/Rede

From Gentoo Wiki
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page Handbook:IA64/Installation/Networking and the translation is 100% complete.

Other languages:
Deutsch • ‎English • ‎español • ‎français • ‎polski • ‎português do Brasil • ‎русский • ‎українська • ‎中文(中国大陆)‎ • ‎日本語 • ‎한국어
IA64 Handbook
Installation
About the installation
Choosing the media
Configuring the network
Preparing the disks
Installing stage3
Installing base system
Configuring the kernel
Configuring the system
Installing tools
Configuring the bootloader
Finalizing
Working with Gentoo
Portage introduction
USE flags
Portage features
Initscript system
Environment variables
Working with Portage
Files and directories
Variables
Mixing software branches
Additional tools
Custom package repository
Advanced features
Network configuration
Getting started
Advanced configuration
Modular networking
Wireless
Adding functionality
Dynamic management


Detecção automática de rede

Talvez já esteja funcionando?

Se o sistema estiver conectado a uma rede Ethernet com um servidor DHCP, é muito provável que a configuração de rede já tenha sido feita automaticamente. Se for o caso, então os muitos comandos incluidos no CD de instalação que dependem da rede tais como ssh, scp, ping, irssi, wget e links, entre outros, funcionarão imediatamente.

Determine os nomes das interfaces

comando ifconfig

Se a rede já foi configurada, o comando ifconfig deve listar uma ou mais interfaces de rede (além da lo). No exemplo abaixo, é mostrada a interface eth0:

root #ifconfig
eth0      Link encap:Ethernet  HWaddr 00:50:BA:8F:61:7A
          inet addr:192.168.0.2  Bcast:192.168.0.255  Mask:255.255.255.0
          inet6 addr: fe80::50:ba8f:617a/10 Scope:Link
          UP BROADCAST RUNNING MULTICAST  MTU:1500  Metric:1
          RX packets:1498792 errors:0 dropped:0 overruns:0 frame:0
          TX packets:1284980 errors:0 dropped:0 overruns:0 carrier:0
          collisions:1984 txqueuelen:100
          RX bytes:485691215 (463.1 Mb)  TX bytes:123951388 (118.2 Mb)
          Interrupt:11 Base address:0xe800 

Como resultado de mudanças em favor de nomes de interfaces de rede predizíveis, o nome da interface do sistema pode ser bem diferente do antigo nome eth0. Mídias recentes de instalação pode mostrar nomes de interface de rede como eno0, ens1 ou enp5s0. Procure o nome da interface na saída do comando ifconfig que tem um endereço IP relacionado à rede local.

Tip
Se não for mostrada nenhuma interface quando o comando padrão ifconfig for usado, tente usar o mesmo comando com a opção -a. Essa opção força o comando a mostrar todas as interfaces de rede detectadas pelo sistema independentemente de estarem em estado ativo ou inativo. Se o ifconfig -a não mostrar nenhum resultado então o hardware está com problema ou o driver da interface não foi carregado no kernel. Ambas as situações estão além do escopo deste manual. Contate o canal #gentoo para suporte.

Comando ip

Como alternativa ao ifconfig, o comando ip pode ser usado para se determinar nomes de interfaces. O exemplo a seguir mostra a saída de ip addr (de um outro sistema, assim a informação mostrada é diferente do exemplo anterior):

root #ip addr
2: eno1: <BROADCAST,MULTICAST,UP,LOWER_UP> mtu 1500 qdisc pfifo_fast state UP group default qlen 1000
    link/ether e8:40:f2:ac:25:7a brd ff:ff:ff:ff:ff:ff
    inet 10.0.20.77/22 brd 10.0.23.255 scope global eno1
       valid_lft forever preferred_lft forever
    inet6 fe80::ea40:f2ff:feac:257a/64 scope link 
       valid_lft forever preferred_lft forever

A saída acima pode ser um pouco mais complicada de ler que a alternativa. O nome da interface no exemplo acima segue imediatamente seu número; no caso, eno1.

No restante deste documento, o manual assumirá que a interface de rede é chamada eth0.

Opcional: Configuração de proxy

Se a Internet é acessada através de um proxy, então é necessário entrar com as informações do proxy durante a instalação. É muito fácil definir um proxy: apenas defina uma variável que contém as informações do servidor proxy.

Na maioria dos casos, é suficiente definir as variáveis usando o nome do servidor. Como exemplo, vamos assumir que o proxy é chamado proxy.gentoo.org e a porta é 8080.

Para configurar um proxy HTTP (para tráfego HTTP e HTTPS):

root #export http_proxy="http://proxy.gentoo.org:8080"

Para configurar um proxy FTP:

root #export ftp_proxy="ftp://proxy.gentoo.org:8080"

Para configurar um proxy rsync:

root #export RSYNC_PROXY="proxy.gentoo.org:8080"

Se o proxy requer um nome de usuário e senha, use a seguinte sintaxe para a variável:

CODE Adicionando usuário/senha à variável proxy
http://usuário:senha@proxy.gentoo.org:8080

Testando a rede

Tente "pingar" o servidor DNS do seu provedor (encontrado em /etc/resolv.conf) e um site web de sua escolha. Isso certifica que a rede está funcionando adequadamente e que os pacotes de rede estão alcançando a rede, a resolução de nomes pelo DNS está funcionando corretamente etc.

root #ping -c 3 www.gentoo.org

Se tudo funcionar, então o restante deste capítulo pode ser pulado para o próximo passo das instruções de instalação (Preparando os discos).

Configuração automática de rede

Se a rede não funcionar imediatamente, algumas mídias de instalação permitem ao usuário usar o net-setup (para redes regulares ou sem fio), pppoe-setup (para usuários de ADSL) ou pptp (para usuários de PPTP).

Se a mídia de instalação não incluir nenhuma dessas ferramentas, continue com a Configuração manual de rede.

Default: Usando o net-setup

O modo mais simples de configurar a rede se ela não foi configurada automaticamente é executar o script net-setup:

root #net-setup eth0

O net-setup irá fazer algumas perguntas sobre o ambiente de rede. Quando terminar, a conexão de rede deve funcionar. Teste a conexão de rede como descrito anteriormente. Se os testes derem certo, parabéns! Pule o resto desta seção e continue com Preparando os discos.

Se a rede ainda não funciona, continue com a Configuração manual de rede.

Alternativa: Usando PPP

Assumindo que é necessário o uso do PPPoE para se conectar à Internet, o CD de instalação (qualquer versão) tornou as coisas mais fáceis incluindo o ppp. Use o script pppoe-setup provido para configurar a conexão. Durante a configuração será perguntado o dispositivo que está conectado ao seu modem ADSL, o nome de usuário e senha, os IPs dos servidores DNS e se é necessário um firewall básico.

root #pppoe-setup
root #pppoe-start

Se alguma coisa der errado, verifique se o usuário e senha estão corretos olhando em etc/ppp/pap-secrets ou /etc/ppp/chap-secrets e certifique-se de estar usando o dispositivo Ethernet correto. Se o dispositivo Ethernet não existir, os módulos de rede apropriados precisam ser carregados. Nesse caso, continue em Configuração manual de rede pois lá é explicado como carregar os módulos de rede apropriados.

Se tudo estiver funcionando, prossiga com Preparando os discos.

Alternativa: Usando PPTP

Se for necessário suporte a PPTP, use pptpclient, que é provido pelos CDs de instalação. Mas primeiro certifique-se que a configuração está correta. Edite /etc/ppp/pap-secrets ou /etc/ppp/chap-secrets de modo que contenha a combinação correta de usuário e senha:

root #nano -w /etc/ppp/chap-secrets

Depois ajuste o /etc/ppp/options.pptp se necessário:

root #nano -w /etc/ppp/options.pptp

Quando tudo pronto, execute pptp (juntamente com as opções que não puderam ser incluídas em options.pptp) para conectar ao servidor:

root #pptp <ip do servidor>

Agora continue com Preparando os discos.

Configuração manual de rede

Carregando os módulos de rede apropriados

Quando o CD de instalação inicializa, ele tenta detectar todos os dispositivos de hardware e carrega os módulos (drivers) do kernel necessários para suportar o hardware. Na vasta maioria dos casos, ele faz um ótimo trabalho. Em alguns casos, entretanto, ele pode não carregar os módulos necessários.

Se o net-setup ou o pppoe-setup falhou, então é possível que a placa de rede não foi encontrada imediatamente. Isso significa que o usuário pode precisar carregar os módulos do kernel manualmente.

Para saber quais módulos do kernel são providos para rede, use o comando ls:

root #ls /lib/modules/`uname -r`/kernel/drivers/net

Se encontrar um driver para o dispositivo de rede, use modprobe para carregar o módulo do kernel. Por exemplo, para carregar o módulo pcnet32:

root #modprobe pcnet32

Para checar se a placa de rede foi detectada, use ifconfig. Uma placa de rede quando detectada deve resultar em algo como (novamente, eth0 é apenas um exemplo):

root #ifconfig eth0
eth0      Link encap:Ethernet  HWaddr FE:FD:00:00:00:00  
          BROADCAST NOARP MULTICAST  MTU:1500  Metric:1
          RX packets:0 errors:0 dropped:0 overruns:0 frame:0
          TX packets:0 errors:0 dropped:0 overruns:0 carrier:0
          collisions:0 txqueuelen:0 
          RX bytes:0 (0.0 b)  TX bytes:0 (0.0 b)

Se, entretanto, o seguinte erro for mostrado, a placa de rede não foi detectada:

root #ifconfig eth0
eth0: error fetching interface information: Device not found

Os nomes das interfaces de rede disponíveis no sistema podem ser listados através do sistema de arquivos em /sys:

root #ls /sys/class/net
dummy0  eth0  lo  sit0  tap0  wlan0

No exemplo acima foram encontradas 6 interfaces. A eth0 é a mais provável de ser o adaptador Ethernet (com fio) enquanto o wlan0 é a interface sem fio.

Assumindo que a placa de rede foi detectada, tente novamente o net-setup ou pppoe-setup (que deve funcionar agora) mas, para o pessoal mais "hardcore", explicamos também como configurar a rede manualmente.

Selecione uma das seguintes seções baseado em sua configuração de rede:

Usando DHCP

DHCP ("Dynamic Host Configuration Protocol" - Protocolo de Configuração Dinâmica de Host) torna possível obter informações de rede (endereço IP, máscara de rede, endereço de broadcast, servidores de nomes etc). Isso funciona apenas se houver um servidor DHCP na rede (ou se o provedor de Internet provê serviço DHCP). Para que uma interface de rede receba essa informação automaticamente, use dhcpcd:

root #dhcpcd eth0

Alguns administradores de rede requerem que o nome de host e o nome de domínio providos pelo servidor DHCP sejam usados pelo sistema. Nesse caso, use:

root #dhcpcd -HD eth0

Se isso funcionar (tente fazer ping para algum servidor da Internet, como o 8.8.8.8 do Google ou o 1.1.1.1 da Cloudflare), então tudo está configurado e pronto para continuar. Pule o resto desta seção e continue em Preparando os discos.

Preparando para acesso sem fio

Nota
O suporte ao comando iw pode ser específico da arquitetura. Se o comando não estiver disponível, verifique se o pacote net-wireless/iw está disponível para essa arquitetura. O comando iw estará indisponível até que o pacote net-wireless/iw esteja instalado.

Quando usar uma conexão sem fio (802.11), as configurações sem fio precisam ser feitas antes de qualquer coisa. Para ver as configurações atuais da placa usa-se o iw. Executando o iw deve aparecer algo como:

root #iw dev wlp9s0 info
Interface wlp9s0
	ifindex 3
	wdev 0x1
	addr 00:00:00:00:00:00
	type managed
	wiphy 0
	channel 11 (2462 MHz), width: 20 MHz (no HT), center1: 2462 MHz
	txpower 30.00 dBm

Para verificar a conexão atual:

root #iw dev wlp9s0 link
Not connected.

ou

root #iw dev wlp9s0 link
Connected to 00:00:00:00:00:00 (on wlp9s0)
	SSID: GentooNode
	freq: 2462
	RX: 3279 bytes (25 packets)
	TX: 1049 bytes (7 packets)
	signal: -23 dBm
	tx bitrate: 1.0 MBit/s
Nota
Algumas interfaces sem fio podem ter o nome de interface tais como wlan0 ou ra0 em vez de eth0. Execute ip link para determinar o nome correto da interface.

Para a maioria dos usuários há apenas dois parâmetros necessários para a conexão, o ESSID (nome da rede sem fio) e, opcionalmente, a chave WEP.

  • Primeiro, certifique-se que a interface está ativa:
root #ip link set dev wlp9s0 up
  • Para conexão com uma rede aberta de nome GentooNode:
root #iw dev wlp9s0 connect -w GentooNode
  • Para conexão usando uma chave WEP em hexadecimal, prefixe a chave com d::
root #iw dev wlp9s0 connect -w GentooNode key 0:d:1234123412341234abcd
  • Para conexão usando uma chave WEP em ASCII:
root #iw dev wlp9s0 connect -w GentooNode key 0:some-password
Nota
Se a rede sem fio estiver configurada com WPA ou WPA2, então é necessário usar o wpa_supplicant. Para mais informações sobre a configuração de rede sem fio no Gentoo Linux, por favor leia o capítulo sobre rede sem fio do Manual do Gentoo.

Verifique novamente a configuração da rede sem fio usando o iw dev wlp9s0 link. Uma vez que a rede sem fio estiver funcionando, prossiga com a configuração das opções de rede a nível de IP como descrita na próxima seção (Entendendo a terminologia de rede) ou use o comando net-setup como descrito anteriormente.

Entendendo a terminologia de rede

Nota
Se o endereço IP, endereço de broadcast, máscara de rede e servidores de nome forem conhecidos, pule esta subseção e prossiga com Usando o ifconfig e route.

Se tudo descrito acima falhar, a rede precisará ser configurada manualmente. Isso não é nada difícil. Entretanto, algum conhecimento de terminologia de redes e conceitos básicos podem ser necessários. Depois de ler esta seção, o usuário saberá o que é um gateway, para que serve a máscara de rede, como é formado um endereço de broadcast e porque os sistemas precisam de servidores de nomes.

Em uma rede, hosts são identificados pelo seu endereço IP (endereço de Protocolo Internet). Tal endereço é visto como uma combinação de quatro números entre 0 e 255. Bem, pelo menos quando usado o IPv4 (IP versão 4). Na realidade, um endereço IPv4 consiste de 32 bits (uns e zeros). Vejamos um exemplo:

CODE Examplo de um endereço IPv4
Endereço IP (números):   192.168.0.2
Endereço IP (bits):      11000000 10101000 00000000 00000010
                        -------- -------- -------- --------
                           192      168       0        2
Nota
O sucessor do IPv4, o IPv6, usa 128 bits (uns e zeros). Nesta seção, o foco será em endereços IPv4.

Um endereço IP é único a um host no que se refere a todas as redes por ele acessíveis (isto é, cada host que alguém quiser alcançar deve ter um endereço IP único). De modo a distinguir entre hosts dentro e fora de uma rede, o endereço IP é dividido em duas partes: a parte de rede e a parte de host.

Essa separação é escrita usando a máscara de rede, uma sequência de uns seguida de uma sequência de zeros. A parte do endereço IP correspondente aos uns é a parte de rede, e a outra é a parte de host. Usualmente, a máscara de rede é escrita como um endereço IP.

CODE Exemplo da separação de rede/host
Endereço IP:          192      168      0         2
                   11000000 10101000 00000000 00000010
Máscara de rede:   11111111 11111111 11111111 00000000
                      255      255     255        0
                   --------------------------+--------+
                              Rede               Host

Ou seja, 192.168.0.14 é parte da mesma rede do exemplo, mas 192.168.1.2 não é.

O endereço de broadcast (difusão) é um endereço IP com a mesma parte de rede, mas apenas uns na parte de host. Todos os hosts na rede escutam por esse endereço IP. Ele é verdadeiramente destinado a difusão de pacotes.

CODE Endereço de broadcast
Endereço IP:   192      168      0         2
            11000000 10101000 00000000 00000010
Broadcast:  11000000 10101000 00000000 11111111
               192      168      0        255
           +--------------------------+--------+
                     Rede                Host

Para ser capaz de navegar na Internet, cada computador na rede deve saber qual host compartilha a conexão com a Internet. Esse host é chamado gateway. Uma vez que ele é um host normal, ele tem um endereço IP normal (por exemplo, 192.168.0.1).

Dissemos anteriormente que todos os hosts tem seu próprio endereço IP. Para ser capaz de alcançar esse host usando um nome (em vez de um endereço IP), precisamos de um serviço que traduza um nome (tal como dev.gentoo.org) para um endereço IP (tal como 64.5.62.82). Tal serviço é chamado de "serviço de nomes". Para usar esse serviço, é necessário que os servidores de nomes (nameservers) sejam definidos em /etc/resolv.conf.

Em alguns casos, o gateway também serve como servidor de nomes. Senão, os servidores de nomes do provedor precisam ser inseridos nesse arquivo.

Resumindo, as seguintes informações são necessárias antes de continuar:

Item da rede Exemplo
O endereço IP do sistema 192.168.0.2
Máscara de rede 255.255.255.0
Broadcast 192.168.0.255
Gateway 192.168.0.1
Servidor(es) de nomes 195.130.130.5, 195.130.130.133

Usando o ifconfig e route

Configurar a rede consiste de três passos:

  1. Atribua um endereço IP usando ifconfig
  2. Configure o roteamento e o gateway usando route
  3. Termine inserindo os servidores de nome em /etc/resolv.conf

Para atribuir um endereço IP, são necessários o endereço IP, o endereço de broadcast e a máscara de rede. Depois execute o seguinte comando, substituindo ${IP_ADDR} pelo endereço IP correto, ${BROADCAST} com o endereço de broadcast correto e ${NETMASK} com a máscara de rede correta.

root #ifconfig eth0 ${IP_ADDR} broadcast ${BROADCAST} netmask ${NETMASK} up

Configure o roteamento usando o comando route. Substitua ${GATEWAY} com o endereço IP correto do gateway:

root #route add default gw ${GATEWAY}

Agora edite o /etc/resolv.conf:

root #nano -w /etc/resolv.conf

Insira o(s) servidor(es) de nomes usando o padrão abaixo. Certifique-se de substituir ${NAMESERVER1} e ${NAMESERVER2} com os endereços apropriados dos servidores de nomes:

FILE /etc/resolv.confModelo de /etc/resolv.conf
nameserver ${NAMESERVER1}
nameserver ${NAMESERVER2}

É isso. Agora teste a rede fazendo ping para algum servidor da Internet (como o 8.8.8.8 do Google ou o 1.1.1.1 da Cloudflare). Se funcionar, parabéns. Continue com Preparando os discos.