Cinnamon

From Gentoo Wiki
Jump to:navigation Jump to:search
This page is a translated version of the page Cinnamon and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎français • ‎polski • ‎português do Brasil • ‎русский • ‎中文(中国大陆)‎ • ‎日本語 • ‎한국어

Cinnamon é um ambiente de trabalho contemporâneo com uma interface tradicional que usuários do Gnome 2, LXDE ou Xfce acharão de fácil uso. Ele possui ótimas características gráficas e funcionais. Fork do Gnome Shell e desenvolvido por Linux Mint, está disponível para as arquiteturas amd64 e x86.

Instalação

Pré-requisitos

Cinnamon funciona perfeitamente com e sem systemd. Para instalar sem as dependências do systemd, use eselect para trocar para um perfil sem Gnome, como default/linux/amd64/13.0/desktop. Para instalar com systemd, use um perfil com Gnome ativado, como default/linux/amd64/13.0/desktop/gnome/systemd. A arquitetura e versão podem ser diferentes em ambos os casos.

Para ver a lista dos perfis do sistema disponíveis:

root #eselect profile list
[1] default/linux/amd64/13.0
[2] default/linux/amd64/13.0/selinux
[3] default/linux/amd64/13.0/desktop
[4] default/linux/amd64/13.0/desktop/gnome
[5] default/linux/amd64/13.0/desktop/gnome/systemd
etc.

OpenRC

Ao usar OpenRC, escolha o perfil do sistema correto:

root #eselect profile set default/linux/amd64/13.0/desktop

Também é possível usar o número associado ao perfil de acordo com a lista acima:

root #eselect profile set 3

Leia as instruções disponíveis no artigo Gentoo Sem Systemd

Systemd

Para o Cinnamon com suporte ao systemd, selecione o perfil GNOME desktop que termina com systemd:

root #eselect profile set default/linux/amd64/13.0/desktop/gnome/systemd
Nota
A arquitetura do sistema (amd64) e a versão (13) podem ser diferentes contanto que o trecho final seja /gnome/systemd.

Xorg

É claro que para o Cinnamon funcionar, Xorg precisa estar instalado e configurado. Tenha certeza de ter um servidor X configurado antes de proceder com esse artigo. Caso necessário, teste o Xorg como detalhado na seção Usando startx do guia Xorg Gentoo.

Cinnamon (e outras aplicações) são internacionalizadas, suportando diversas línguas (Linguas). Caso isso não tenha sido feito durante a instalação incial do Gentoo, adicione a língua apropriada ao valor da variável LINGUAS em make.conf:

FILE /etc/portage/make.confConfigurar o make.conf para código da língua francesa
LINGUAS="fr" # ou en, de, it, es, etc.

É recomendado instalar x11-libs/gtk+extra e apenas em Xorg com versão anterior a 1.17, x11-drivers/xf86-video-modesetting pois torna a experiência do Cinnamon mais completa.

  • Com Xorg anterior a 1.17:
root #emerge --ask x11-libs/gtk+extra x11-drivers/xf86-video-modesetting
  • Xorg a partir de 1.17:
root #emerge --ask x11-libs/gtk+extra

USE flags

USE flags for gnome-extra/cinnamon A fork of GNOME Shell with layout similar to GNOME 2

eds Enable support for Evolution-Data-Server (EDS)
gstreamer Add support for media-libs/gstreamer (Streaming media)
gtk-doc Build and install gtk-doc based developer documentation for dev-util/devhelp, IDE and offline use
networkmanager Enable net-misc/networkmanager support
nls Add Native Language Support (using gettextGNU locale utilities)

Encontre mais informações sobre Pyhton targets no artigo do projeto Python PYTHON TARGETS.

Algumas USE flags, icu, pulseaudio e gnome-keyring, são necessárias para as dependências do Cinnamon. Caso não estejam habilitadas ainda, deixe emerge --ask gnome-extra/cinnamon criar ou atualizar package.use (ou package.use/cinnamon, ou package.use/outroNome) por si só, ou habilite as USE flags manualmente.

Emerge

Finalmente, após todos os passos acima, peça para o Portage emergir o Cinnamon:

root #emerge --ask gnome-extra/cinnamon
Nota
A duração da compilação do net-libs/webkit-gtk pode ser muito longa, especialmente em hardwares mais antigos. Seja paciente, o Cinnamon vale a pena!

Configuração do Sistema

Antes de olhar as customizações de temas do Cinnamon, configure o sistema para iniciar o Cinnamon corretamente em tempo de boot ou a pedido do usuário, e habilite as configurações corretas de delegação de privilégios para que os usuários finais possam interagir com o sistema de forma intuitiva.

Serviços

As instruções seguintes mostram como lidar com o OpenRC. Com systemd, use systemctl como detalhado na página do systemd.

dbus e consolekit

O servidor Xorg e o Cinnamon precisam dos serviços dbus e consolekit, garanta que eles serão iniciados durante o boot:

root #rc-update add dbus default
root #rc-update add consolekit default

Em seguida, inicie os serviços (não é necessário reiniciar o sistema):

root #rc-service dbus start
root #rc-service consolekit start

NetworkManager

NetworkManager é uma dependência do Cinnamon e não é necessário se a rede foi configurada durante a instalação inicial do Gentoo. Ele não deve rodar concorrentemente a outro serviço de rede. Se o Network Manager é desejado, certifique-se de desabilitar outros serviços e programas de gerenciamento de redes antes de iniciá-lo. Por exemplo, caso o sistema tenha sido configurado para usar os scripts netifrc do Gentoo para gerenciamento de conexões, desabilite estes serviços:

root #rc-service net.eth0 stop
root #rc-update del net.eth0 default
Nota
Utilizando sys-fs/udev, as interfaces de rede estarão utilizando Nomes de Interface de Rede Previsíveis para nomear as interfaces ativas. Isso irá produzir nomes como enp12s0, eno1, enp2s0, etc. Utilizando sys-fs/eudev, o fork de udev do Gentoo que evita dependências de systemd, o primeiro nome de interface de rede é geralmente chamado de eth0.

Após remover outros serviços de rede, adicione o NetworkManager:

root #rc-service NetworkManager start
root #rc-update add NetworkManager default

Desabilitando o applet do NetworkManager

Se Network Manager não está sendo utilizado, seu applet pode ser desabilitado no painel Cinnamon como explicado em Arch Linux Wiki Cinnamon page. Copie /etc/xdg/autostart/nm-applet.desktop para ~/.config/autostart/nm-applet.desktop, em sguida, adicione o comando de desabilitação e finalmente, mude a posse (ownership) do arquivo:

root #cp /etc/xdg/autostart/nm-applet.desktop /home/userName/.config/autostart/nm-applet.desktop
root #echo 'X-GNOME-Autostart-enabled=false' >> /home/userName/.config/autostart/nm-applet.desktop
root #chown userName:userName /home/userName/.config/autostart/nm-applet.desktop

Sudo

Para um usuário comum reiniciar ou desligar o sistema pelo Cinnamon, sudo é necessário com algumas configurações.

Primeiro, instale app-admin/sudo:

root #emerge --ask app-admin/sudo

Em seguida, modifique a configuração do sudo com o commando visudo:

root #visudo

Visudo usa o editor de texto padrão para atualizar o arquivo sudoers. Troque username no texto abaixo com o nome de usuário de cada um que usará o Cinnamon:

FILE /etc/sudoers
username  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/reboot
username  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/halt
username  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/poweroff
username  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/shutdown

Ou para o grupo wheel:

FILE /etc/sudoers
%wheel  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/reboot
%wheel  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/halt
%wheel  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/poweroff
%wheel  ALL=(root) NOPASSWD: /sbin/shutdown

Regras e ações de Polkit

Para um usuário comum executar ações que requerem privilégios elevados no Cinnamon, policy kit deve estar configurado. Use pkaction para ver a lista de ações; elas devem ser autoexplicativas:

root #pkaction
org.cinnamon.settings-daemon.plugins.power.backlight-helper
org.cinnamon.settings-users
org.cinnamon.settingsdaemon.datetimemechanism.configure
org.freedesktop.ModemManager1.Contacts
org.freedesktop.ModemManager1.Control
org.freedesktop.ModemManager1.Device.Control
org.freedesktop.ModemManager1.Firmware
org.freedesktop.ModemManager1.Location
org.freedesktop.ModemManager1.Messaging
org.freedesktop.ModemManager1.USSD
org.freedesktop.NetworkManager.enable-disable-network
org.freedesktop.NetworkManager.enable-disable-wifi
etc.

A forma mais simples é autorizar todas as ações testando a filiação ao grupo wheel. Coloque um arquivo JavaScript com a extensão .rules em /etc/polkit-1/rules.d, chamado por exemplo 55-allowing-all-actions.rules:

FILE /etc/polkit-1/rules.d/55-allowing-all-actions.rulesHabilitando uma regra geral do polkit
polkit.addRule (function (action, subject)
{
  if (subject.isInGroup ("wheel"))
  {
    return polkit.Result.YES;
  }
});

Para autorizar apenas algumas ações, os nomes das ações devem ser iterados. Para um usuário do grupo wheel suspender, hibernar, desligar e reiniciar o sistema, faça um arquivo 55-allowing-actions.rules desta forma:

FILE /etc/polkit-1/rules.d/55-allowing-actions.rulesEstabelecendo regras polkit
polkit.addRule (function (action, subject)
{
  if (action.id == "org.freedesktop.upower.hibernate" ||
      action.id == "org.freedesktop.upower.suspend" ||
      action.id == "org.freedesktop.consolekit.system.stop" ||
      action.id == "org.freedesktop.consolekit.system.restart" &&
      subject.isInGroup ("wheel"))
      {
        return polkit.Result.YES;
      }
});

Diversas ações podem ser adicionadas: alterar perfis de cores, usar o Nemo (gerenciador de arquivos do Cinnamon) como root, montar e ejetar mídias, configurar o backlight da tela, usar gerenciador de rede, alterar o plano de fundo, etc. Vários blocos polkit.addRule (function (action, subject){ … }); podem ser usados lado a lado, e vários arquivos também podem ser usados.

Importante
/etc/polkit-1/rules.d/50-default.rules já existe. Novos arquivos devem começar com um número maior que 50, 55, por exemplo, para que eles sejam processados após o arquivo 50-default.rules. Não crie um arquivo que seria processado antes disso, como por exemplo o nome começando por 45.

Iniciando o Cinnamon

Caso não utilize um gerenciador de display, faça um arquivo .xinitrc no diretório home do usuário iniciando as sessões do ConsoleKit, D-Bus e Cinnamon:

FILE ~/.xinitrcComando de execução do Cinnamon
exec ck-launch-session dbus-launch cinnamon-session

Para iniciar Xorg e Cinnamon, execute startx após o login:

user $startx

Com um gerenciador de display, siga as instruções de display manager.

Temas

Ícones Mint-X

Por padrão, Cinnamon vem com ícones Gnome.Ícones Mint-X estão no Github. Baixe, extraia e coloque o conjunto de ícones Mint-X em /usr/share/icons:

root #mv caminhoParaArquivoExtraido/mint-x-icons-master/usr/share/icons/Mint-X /usr/share/icons/Mint-X

Em seguida, crie uma cache para os ícones:

root #gtk-update-icon-cache /usr/share/icons/Mint-X

O novo pacote de ícones pode ser selecionado no Cinnamon Control Center. Os ícones Mint-X são verdes, mas outros pacotes com diferentes cores podem ser utilizados, como o Mint-X-Grey ou Mint-X-Orange. Certifique-se de criar uma cache para eles também.

Importante
Pacotes de ícones coloridos dependem do pacote de ícones Mint-x: Sempre o instale, com ou sem pacotes de ícones coloridos.

Cor do texto dos ícones da área de trabalho

Nota
A cor do texto dos ícones da Área de Trabalho é agora branca no Cinnamon versão 2.6.13, portanto este capítulo se aplica a versões mais antigas do Cinnamon... e continua uma boa introdução à criação de temas para o Cinnamon.

A cor do texto de um ícone na Área de Trabalho do Cinnamon é preta por padrão, o que não é sempre legível. As instruções para alterar essa cor depende da versão do GTK+ 3 que o sistema está utilizando. Veja a versão atualmente utilizada com:

user $emerge --info x11-libs/gtk+
  • Em versões GTK+ menores que 3.13.3, esta configuração pode apenas ser mudada a nível de sistema. Mude as cores do texto adicionando as regras CSS no arquivo /usr/share/themes/Adwaita/gtk-3.0/gtk.css (Adwaita é o tema padrão do GTK+), após a linha @import:
FILE /usr/share/themes/Adwaita/gtk-3.0/gtk.cssRegras CSS para GTK+ < 3.13.3
@import url("resource:///org/gnome/adwaita/gtk-main.css");
 
/* regras css adicionadas */
.nemo-desktop.nemo-canvas-item {
  color: #fff;  /* #fff é branco na notação de cor da web, #333 é cinza-escuro */
}
 
.nemo-desktop.nemo-canvas-item:selected {
  background-color: alpha (#fff, 0.2);  /* 0.2 é o nível de transparência */
}
A 2a regra diz respeito ao ícone da Área de Trabalho selecionado e pode ser modificada para se obter uma nova cor de fundo ou alterar o nível de transparência.
  • Em versões mais recentes do GTK+ (a partir da 3.13.3), isso deve ser configurado com um arquivo de configuração do usuário. Adwaita é agora o tema do GTK+, substituindo Raleigh, portanto as regras devem ser definidas nos diretórios home dos usuários. O arquivo a ser editado é ~/.config/gtk-3.0/gtk.css (crie o diretório ~/.config/gtk-3.0/ se necessário), e as mudanças agora são sem a linha @import. Além do mais, neste exemplo, a barra esquerda lateral do Nemo é acinzentada:
FILE ~/.config/gtk-3.0/gtk.cssRegras CSS para GTK+ ≥ 3.13.3
.nemo-desktop.nemo-canvas-item {
  color: #fff;
}
 
.nemo-desktop.nemo-canvas-item:selected {
  background-color: alpha (#fff, 0.2);
}
 
NemoWindow .sidebar, NemoWindow .sidebar .view {
  background-color: #444;
  color: #eee; /* cinza claro */
}

Temas Mint-X

Cinnamon vem com um tema padrão, obviamente... Os temas Mint-X estão disponíveis para download no Github. Baixe-os, descomprima-os e copie para /usr/share/themes se necessário. Eles podem ser selecionados no Cinnamon Control Center.

Customizando temas

Quase todas as configurações de tema podem ser alteradas no arquivo cinnamon.css no diretório do tema.

Por exemplo, com o tema do Cinnamon, que não está em /usr/share/themes mas sim em /usr/share/cinnamon/theme, primeiro copie o diretório do tema para um subdiretório local .themes na home do usuário, chamado por exemplo other-cinnamon, que será tratado como o nome do novo tema:

root #mkdir /home/userName/.themes/other-cinnamon
root #cp -R /usr/share/cinnamon/theme /home/userName/.themes/other-cinnamon/cinnamon
root #chown -R userName:userName /home/userName/.themes/other-cinnamon

Altere ~/.themes/other-cinnamon/cinnamon/cinnamon.css. Os resultados das alterações podem ser vistos imediatamente ao selecionar outro tema no Cinnamon Control Center e selecionar novamente o tema alterado.

Aplicações comuns

Terminais

Aplicaçações populares Gnome

Diversas aplicações populares estão também disponíveis, feitas para o Gnome e funcionando perfeitamente no Cinnamon:


root #emerge --ask gnome-extra/gnome-calculator media-gfx/gnome-screenshot media-gfx/eog app-text/evince gnome-extra/gnome-system-monitor app-arch/file-roller app-cdr/brasero app-editors/gedit

Aplicações sem Gnome

Também funcionando perfeitamente no Cinnamon:


Compile app-text/qpdfview e media-video/vlc com a USE flag qt5 para ter um GUI.

Solução de problemas

Se problemas ocorrerem, tente acessar as mensagens de erro em tempo real. Elas podem ser visualizadas em um terminal (virtual) separado ou em um arquivo de log. Se as mensagens não podem ser visualizadas, tente iniciar o Cinnamon a partir da linha de commando ao invés de um gerenciador de display. Alternativamente, dê uma olhada em /var/log/Xorg.0.log.

Quando as mensagens de erro ou aviso não são suficientes para solucionar os problemas do Cinnamon, inicie-o com o parâmetro --debug para obter mensagens mais detalhadas do Xorg:

FILE ~/.xinitrcIniciar Cinnamon em modo debug
exec cinnamon-session --debug

Caso o Cinnamon não inicialize, deletar (ou renomear) .cinnamon no diretório home não é o suficiente: outros itens Cinnamon ou Gnome devem ser deletados (ou renomeados) também antes do X reiniciar. Eles podem ser encontrados nos diretórios XDG .cache, .config e .local. .gnome2 pode ser deletado (ou renomeado) completamente.

Veja também

Recursos externos