Manual:Alpha/Instalação/Gerenciador de boot

From Gentoo Wiki
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page Handbook:Alpha/Installation/Bootloader and the translation is 100% complete.

Other languages:
Deutsch • ‎English • ‎español • ‎français • ‎polski • ‎português do Brasil • ‎русский • ‎українська • ‎中文(中国大陆)‎ • ‎日本語 • ‎한국어
Alpha Handbook
Installation
About the installation
Choosing the media
Configuring the network
Preparing the disks
Installing stage3
Installing base system
Configuring the kernel
Configuring the system
Installing tools
Configuring the bootloader
Finalizing
Working with Gentoo
Portage introduction
USE flags
Portage features
Initscript system
Environment variables
Working with Portage
Files and directories
Variables
Mixing software branches
Additional tools
Custom package repository
Advanced features
Network configuration
Getting started
Advanced configuration
Modular networking
Wireless
Adding functionality
Dynamic management



Escolhendo

Agora que o kernel está configurado e compilado e os arquivos de configuração do sistema estão criados corretamente, é hora de instalar um programa que irá disparar o kernel quando o sistema é iniciado. Tal programa é o carregador de boot (bootloader).

Existem vários carregadores de boot para o Linux/Alpha. Escolha um dos carregadores de boot, mas não todos. Documentamos o aBoot e o MILO.

Default: Usando aBoot

Nota
O aboot suporta apenas boot de partições ext2 e ext3.

Primeiramente instale o aboot no sistema

root #emerge --ask sys-boot/aboot

O próximo passo é fazer o disco de boot bootável. Isso iniciará o aboot quando o sistema for iniciado. Fazemos nosso disco de boot bootável escrevendo o carregador de boot aboot no início do disco.

root #swriteboot -f3 /dev/sda /boot/bootlx
root #abootconf /dev/sda 2
Nota
Se usar um esquema de particionamento diferente do usado neste capítulo, os comandos precisam ser ajustados de acordo. Por favor leia as páginas de manual (man pages) apropriadas (man 8 swriteboot e man 8 abootconf). E també, se a partição root usar o sistema de arquivos JFS, certifique-se de ele ser montado primeiro somente para leitura acrescentando "ro" como uma opção para o kernel.

Embora o aboot já esteja instalado, ainda precisamos criar um arquivo de configuração para ele. O aboot necessita de apenas uma linha para cada configuração, então podemos fazer o seguinte:

root #echo '0:2/boot/vmlinux.gz root=/dev/sda3' > /etc/aboot.conf

Se, durante a compilação do kernel foi criado também um initramfs para dar boot, então é necessário alterar a configuração para referenciar esse initramfs e dizer ao initramfs onde o dispositivo real de root está localizado:

root #echo '0:2/boot/vmlinux.gz initrd=/boot/initramfs-genkernel-alpha-3.16.5-gentoo root=/dev/sda3' > /etc/aboot.conf

Além disso, é possível fazer o Gentoo dar boot automaticamente configurando algumas variáveis SRM. Tente setar essas variáveis a partir do Linux, mas pode ser mais fácil usando o console SRM.

root #cd /proc/srm_environment/named_variables
root #echo -n 0 > boot_osflags
root #echo -n '' > boot_file
root #echo -n 'BOOT' > auto_action
root #echo -n 'dkc100' > bootdef_dev

Substitua dkc100 por qual seja seu dispositivo de boot.

Para entrar no console SRM novamente (para recuperar a instalação do Gentoo, mudar algumas variáveis ou qualquer coisa assim), apenas tecle Ctrl+C para abortar o processo automático de boot.

Se instalando usando um console serial, não se esqueça de incluir a flag de boot por console serial no aboot.conf. Veja o arquivo /etc/aboot.conf.example para maiores informações.

O aboot está agora configurado e pronto para uso. Continue agora em Reiniciando o sistema.

Alternativa: Usando o MILO

Antes de continuar, decida como usar o MILO. Nesta seção assumiremos que será criado um disquete de boot com o MILO. Se for dar boot de uma partição MS-DOS no disco rígido, altere os comandos como apropriado.

Para instalar o MILO, usamos o emerge.

root #emerge --ask sys-boot/milo

Após o MILO ser instalado, as imagens do MILO devem ser gravadas em /opt/milo/. Os comandos abaixo criam um disquete de boot para uso com o MILO. Lembre-se de usar a imagem para o sistema Alpha correto.

root #fdformat /dev/fd0
root #mformat a:
root #mcopy /opt/milo/milo-2.4-18-gentoo-ruffian a:\milo
root #mcopy /opt/milo/linload.exe a:\linload.exe

Se o sistema Alpha for um Ruffian

root #mcopy /opt/milo/ldmilo.exe a:\ldmilo.exe

Finalmente, conclua com:

root #echo -ne '\125\252' | dd of=/dev/fd0 bs=1 seek=510 count=2

O disquete de boot MILO está agora pronto para dar boot no Gentoo Linux. Pode ser necessário configurar variáveis de ambiente no firmware ARCS para fazer o MILO iniciar; isso é explicado no MILO-HOWTO com exemplos dos sistemas mais comuns e exemplos dos comandos para uso no modo interativo.

Deixar de ler o MILO-HOWTO é uma má ideia.

Continue agora em Reiniciando o sistema.


Reiniciando o sistema

Saia do ambiente chroot e desmonte todas as partições montadas. Então digite o comando mágico que dá início ao verdadeiro teste final: reboot.

root #exit
cdimage ~#cd
cdimage ~#umount -l /mnt/gentoo/dev{/shm,/pts,}
cdimage ~#umount -R /mnt/gentoo
cdimage ~#reboot

Claro, não esqueça de remover o CD de boot ou o sistema irá reinicializar pelo CD em vez do novo sistema Gentoo.

Uma vez reiniciado o sistema no ambiente recém-instalado finalize com Finalizando a instalação do Gentoo.